BLOG

As mulheres do Antigo Testamento

22/10/2015
As mulheres do Antigo Testamento

Turma, é comum muita gente acreditar que as mulheres dos tais "tempos bíblicos" eram maltratadas ou não eram vistas como seres humanos iguais aos homens. Esse tipo de raciocínio sofre de dois erros muito comuns. O primeiro é a ausência da relativização histórica. Cada tempo e espaço deve ser compreendido à luz do seu contexto, ou seja, é equivocado julgar culturas distintas pelos paradigmas construídos pela sociedade moderna. Mas o outro erro muito comum é da ausência de conhecimento. Não se trata de uma perspectiva religiosa, mas sim histórica e humana, mesmo antropológica. No livro "Os Judeus e as Palavras", de Amoz-Oz e Fania-Oz Salzberger, respectivamente pai e filha, poeta e historiadora, ambos ateus, surge uma luz muito interessante sobre o papel da mulher judia no Antigo Testamento. Antes que alguém se manifeste sobre os preconceitos que as mulheres sofreram no tal Novo Testamento, só gostaria de ressaltar que entre Antigo e Novo Testamento há um espaço de 400 anos, espaço esse em que a sociedade judaica foi invadida por gregos e acabou helenizada. Portanto, perspectivas de mundo puramente judaicas eram mais difíceis de serem encontradas na época de Cristo. Assim, ao fazer rápida reflexão sobre a mulher judia, estamos nos concentrando especificamente no Antigo Testamento, onde o pensamento hebraico fica mais evidente.

No Antigo Testamento as mulheres são, frequentemente, os pivôs da ação de toda História. Rebeca desafio a preferência do marido e o enganou ao forçar a benção para o filho mais novo, Jacó. No livro de Cantares, são inúmeros os versículos escritos pela esposa de Salomão, o que mostra que a educação não estava limitada ao público masculino. Ela deixa sua marca na Bíblia e inclusive derrete-se em versos de amor, sendo sensual sem ser vulgar. A Bíblia tem dois livros escritos em torno de mulheres apenas, Rute e Ester. Jael matou um general e Sara frequentemente faz seu marido de gato e sapato, hora empurrando-lhe Hagar, hora obrigando-o a expulsar a escrava.

Após a saída dos hebreus do Egito, é Miriã quem lidera a festa dançando para todo o povo. No momento de crise, quando o povo precisava de líderes, Débora foi juíza em Israel. Elas não são apenas coadjuvantes. São personagens centrais sem as quais a História tomaria outro rumo. A mulher judia realmente não envolvia-se com assuntos administrativos como os homens. Isso é importante entender para que o Antigo Testamento e a própria História possam ser corretamente contextualizados. Mas é importante perceber que haviam normas de higiene rígidas para o público feminino para que seus dias de menstruação fossem respeitados. Léia tramou o engodo contra Jacó juntamente com seu pai Labão e forçou o casamento com Jacó. Joquebede é principal personagem na História de libertação do principal patriarca do povo judeu, Moisés, cujo pai nunca aparece na História.

A mulher judia era respeitada. Sofrida sim, especialmente quando se tornava viúva, pois a renda familiar encontrava seu fim. Por isso, era lei entre os judeus que as viúvas deveriam ser bem-tratadas e a elas deveria ser permitido tomar o excedente das colheitas, aquilo que ficasse pelo caminho. O Antigo Testamento mostra uma preocupação com o público feminino e um importante espaço aberto para suas ideias e ações. Foi a esposa de Ló que segurou a família o máximo de tempo possível dentro de Sodoma. Só saíram quando os anjos empurraram-nos para fora. No fim, a mulher virou uma estátua de sal. O Antigo Testamento dá espaço amplo para as mulheres e suas Histórias. Há heróis mas também heroínas. Há homens maus, há mulheres más.

No Novo Testamento a mulher já era tratada como uma subalterna, fruto de uma mentalidade predominantemente grega e romana, respectivamente os dois últimos povos a dominarem a região e inculcarem a muitos judeus os seus valores. Os saduceus, por exemplo, chegariam ao disparate de defender a reencarnação, avessa aos padrões judaicos tradicionais, mas típica no mundo greco-romano. Mas isso, já é outra história.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro.