HISTÓRIA DO BRASIL
ESCOLHA UM TÍTULO

20. OLIGARQUIAS E A POLÍTICA DOS GOVERNADORES

20. OLIGARQUIAS E A POLÍTICA DOS GOVERNADORES

O período que compreende os anos de 1894 a 1930 é chamado de República Velha. Abaixo seguem os presidentes desse período:

15/11/1889 a 23/11/1891 – Manuel Deodoro da Fonseca

23/11/1891 a 15/11/1894 – Floriano Vieira Peixoto

15/11/1894 a 15/11/1898 – Prudente José de Moraes Barros

15/11/1898 a 15/11/1902 – Manuel Ferraz de Campos Sales

15/11/1902 a 15/11/1906 – Francisco de Paulo Rodrigues Alves

15/11/1906 a 14/06/1909 – Afonso Augusto Moreira Pena

14/06/1909 a 15/11/1910 – Nilo Procópio Peçanha

15/11/1910 a 15/11/1914 – Hermes Rodrigues da Fonseca

15/11/1914 a 15/11/1918 – Venceslau Pereira Gomes

15/11/1918 a 28/07/1919 – Delfim Moreira da Costa Ribeiro (O eleito foi Rodrigues Alves, mas morreu, de gripe espanhola, antes de tomar posse, assim, Delfim Moreira foi interino até as eleições seguintes).

28/07/1919 a 15/11/1922 – Epitácio da Silva Pessoa

15/11/1922 a 15/11/1926 – Artur da Silva Bernardes

15/11/1926 a 24/10/1930 – Washington Luís Pereira de Sousa

Essa fase foi marcada pelo frequente revezamento de membros dos Partidos Republicanos de São Paulo e Minas Gerais, os dois maiores colégios eleitorais, na presidência da República. Alguém poderia estranhar a ausência dos demais Partidos Republicanos ou mesmo de outras ideologias, mas o conluio entre os Partidos Republicanos permitia a vitória fraudulenta de paulistas e mineiros enquanto estes garantiam a permanência dos latifundiários no poder em seus respectivos Estados. Essa estratégia de fraude das eleições, combinada à manipulação do eleitorado para manter nos Estados essas elites – voto de cabresto -, ficou conhecida como Política dos Governadores ou, Coronelismo e teve início com o presidente Campos Sales.

Coronelismo é uma expressão que remonta à criação da Guarda Nacional durante a regência do padre Diogo Antonio Feijó. Vale lembrar que Feijó estabeleceu como líderes da Guarda Nacional as elites agrícolas de cada Estado, assim, quem já detinha o poder econômico, passou a usufruir de poder militar e ainda maior prestígio político.

Essa fase foi marcada pela concentração do interesse político nos centros urbanos. Entretanto, mesmo a população urbana mais pobre era esquecida e maltratada pelo governo. Dessa forma, pode-se compreender a razão de haverem surgido revoltas no campo e na cidade durante o período. Para entender melhor esses conflitos, precisamos conhecer o ciclo econômico e a política social da República Velha.