HISTÓRIA DO BRASIL
ESCOLHA UM TÍTULO

9. UNIÃO IBÉRICA E INVASÕES ESTRANGEIRAS

9. UNIÃO IBÉRICA E INVASÕES ESTRANGEIRAS

D. João III e Dna. Catarina eram muito religiosos, mas isso não pareceu evitar a grande dificuldade dos monarcas de fazerem filhos vingarem até a idade adulta. Viram seus nove filhos morrerem, apesar de Maria Manuela haver se casado com Filipe II de Espanha mas morrer no parto do filho do casal aos dezoito anos. A criança tinha problemas mentais. D. João Manuel viveu até os dezessete, casou-se mas morreu com sua esposa grávida. É desse matrimônio que nasceu o único herdeiro de D. João III, o garotinho que viria a se chamar D. Sebastião.

Criado nos rigores do catolicismo, D. Sebastião vislumbrava a possibilidade de promover uma guerra santa no norte da África, sob a alegação de que os mouros estavam próximos demais de Portugal e isso ofereceria um risco para a integridade do país cristão. D. Sebastião, contrariando os militares do reino, resolveu promover a saga na África. Era o ano de 1578 e o próprio rei foi para o conflito, mas, desapareceu durante o combate e não existem notícias do que pode haver ocorrido ao jovem rei. Conhecida como batalha de Alcácer-Quibir, o episódio que iniciou a crise dinástica em Portugal não tinha chances de um fim muito promissor. Apesar da valentia dos portugueses, eram 15 mil cristãos contra 60 mil mouros descansados e bem alimentados. D. Sebastião não deixou herdeiros e seu parente mais próximo era um tio-avô, Cardeal D. Henrique. Este assumiu o trono mas morreu em 1580.

D. Filipe II, da Espanha julgava-se no direito de assumir o trono português. Fora casado com uma princesa portuguesa, teve com ela um filho. Muitos membros da nobreza portuguesa, entretanto, não viam assim. Uma parte dessa nobreza foi seduzida e comprada pelo monarca espanhol enquanto o grupo mais resistente até enfrentou as tropas de Filipe II, sendo derrotados. Assim, Filipe II pode dizer sobre Portugal “Lo compre, lo herde y lo conquiste”.

A indexação de Portugal pela Espanha acabou provocando uma série de consequências para a América, especialmente para a colônia portuguesa. Com a chamada União Ibérica, não fazia mais sentido a existência do Tratado de Tordesilhas.

A Espanha não tinha motivos para se ocupar com o lado lusitano da América. Sabidamente não haviam riquezas disponíveis como as encontradas na América de ocupação Hispânica. Assim, o Brasil ficou à mercê de invasões estrangeiras, como a holandesa, por exemplo.